top of page
Buscar
  • samantarodriguesme

INTESTINO PRESO EM IDOSOS: COMO MELHORAR?

A queixa de intestino preso na população idosa é muito frequente. O processo de envelhecimento, por si só, altera o funcionamento do intestino, principalmente em região do reto, diminuindo a sensação da necessidade de evacuar. Provocando, assim, acúmulo de fezes e/ou desenvolvimento de fecalomas.

Aliado a isso, muitos idosos tem a tendência de consumir alimentos processados (produtos in natura convertidos a industriais pela adição de cloreto de sódio, açúcares, conservantes e corantes com o objetivo de aumentar seu

prazo de validade) e ultraprocessados (produtos não encontrados na natureza e desenvolvidos industrialmente, como biscoitos, salgadinhos e refrigerantes).



Consideramos que a pessoa tem o intestino preso ou quando as fezes estão muito endurecidas e com dificuldade para evacuar ou com a frequência de evacuação muito reduzida (menos de 3 vezes na semana). Para esses casos, sempre devemos avaliar se não há alguma doença ou medicações que interferem no funcionamento do intestino, para tentarmos atuar na causa primeiro.

  • Algumas das doenças que podem deixar seu intestino preso:

o Diabetes Mellitus

o Hipotireoidismo

o Doença Renal Crônica

o Doença de Parkinson

o AVC (Acidente Vascular Encefálico)

o Estenose anal, retal ou colônica

o Megacólon chagásico

o Dependência física total.

  • Medicamentos que prendem o intestino:


o Anti-inflamatórios não hormonais como Ibuprofeno e Naproxeno.

o Opióides como Codeína, Metadona, Morfina e Tramadol.

o Antiácidos como Carbonato de cálcio e hidróxio de alumínio.

o Anticonvulsivantes: Carbamazepina, Fenitoína, Fenobarbital.

o Amitriptilina e Nortriptilina.

o Haloperidol e risperidona.

o Antiparkinsonianos: Entacapona e levodopa.


Para tratar a constipação intestinal, precisamos mudar alguns hábitos de vida para ajudar no funcionamento do intestino:

  1. Programar horário para evacuar (preferencialmente após alguma refeição);

  2. Aumentar a ingestão de alimentos rico em fibras e ingerir mais quantidade de liquido (cerca de 2litros por dia).

  3. Fazer caminhadas, pois aumenta o peristaltismo intestinal (ou seja, o movimento do intestino).


Se só a mudança dos hábitos de vida não for suficiente, pode ser que tenha que ser feito o uso de medicamentos para soltar o intestino. Porém, cada um desses medicamentos atua de formas diferentes e só um médico pode avaliar qual tipo de remédio é adequado para cada caso. É bom lembrar também que essas medicações não são isentas de efeitos colaterais, as mais comuns são distensão abdominal, cólicas, flatulência e náuseas. Abaixo cito alguns desses medicamentos:


  • Medicamentos que aceleram a defecação e formadores de massa:

o Metilcelulose: seu efeito começa de 12 a 72 horas após sua ingestão.

o Psyllium: seu efeito começa de 12 a 24 horas após sua ingestão.

  • Laxante osmótico (aumenta quantidade de água no intestino):

o Citrato de magnésio: seu efeito começa de 30min a 6 horas após sua ingestão.

o Lactulose: seu efeito começa de 24 a 48 horas após sua ingestão.

o Polietilenoglicol: seu efeito começa de 24 a 48 horas após sua ingestão.

  • Laxante estimulantes (irritam a parede intestinal, aumentando o peristaltismo):

o Bisacodil: seu efeito começa de 6 a 10 horas após sua ingestão.

o Senna alexandrina: seu efeito começa de 6 a 12 horas após sua ingestão.


Fonte: Tratado de Geriatria e Gerontologia 5ª edição. Diniz, LR. Geriatria. 1ªedição, 2019.

161 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


Post: Blog2_Post
bottom of page